As informações prestadas pelas empresas brasileiras às instituições governamentais municipal, estadual e federal – e trabalhistas – serão cruzadas em um grande banco de dados, cujo resultado será a unificação deste conhecimento para o Fisco
– Não há mercado mais amplamente fiscalizado que o de posto – frisou o líder da Plumas, Luiz Rinaldo, ao destacar a importância de compartilhar todas as informações do posto e da conveniência ao seu contador. O fisco, lembrou o especialista, está de olho nos números dos postos revendedores. A gerente comercial Daniela de Paula observou que o Brasil está acompanhando o padrão internacional de contabilidade, e que todas as empresas deverão se adequar, ou sofrerão pesadas sanções. O especialista Jocenildo Maciel assinalou que tanto o empregador como o empregado serão instados a colaborar. Do contrário não será possível o registro. As contratações passam a ser informadas no e-social antes mesmo da admissão, assim como as documentações pertinentes. Nunca os prazos tiveram tanto que ser respeitados. E o resultado, complementou Jocenildo, já pode ser vislumbrado: – 70% das ações judiciais trabalhistas caíram por conta desses procedimentos. Fonte: Posto Rio